19.5.06

Censura em Brasília - UniCEUB



“É A CENSURA QUE NÃO DISFARÇA, NO UNICEUB A LEI É DA MORDAÇA!” - 12.05.2006

Iniciam-se os movimentos que prometem parar o UniCEUB

"Nesta terça-feira, dia 9 de maio, os estudantes do UniCeub foram surpreendidos com o comunicado de que a última edição do jornal laboratório Esquina - já impressa - não iria circular. O motivo da apreensão dos três mil exemplares foi a censura à matéria intitulada Comigo é no Popular, numa referência ao ex-governador de Brasília, Joaquim Roriz. A publicação é produzida, há cerca de 30 anos, pelos cursandos do 6° semestre de Jornalismo do UniCeub e, até onde se sabe, foi a primeira vez que tal fato ocorreu". (Thiago)

Na noite desta quinta feira aconteceu, em frente às portas da reitoria, uma manifestação que mobilizou estudantes de comunicação social do UniCEUB. Frente ao ato de censura cometido pela reitoria desta Instituição, os alunos percorreram o campus ecoando um coro de protesto reivindicando, principalmente, uma explicação que traduzisse boa vontade para dialogar por parte da reitoria.

Em três horas de manifestação foram mobilizados os blocos dos cursos de direito e administração, incluindo aí os calouros do bloco 10. Em passeata organizada, saíram para a W4 onde bloquearam o cruzamento em frente à faculdade, com jornais da cidade em punho que traziam o ato de censura em manchete, chamando a atenção de todos para a censura que está acontecendo com relação ao Esquina (jornal laboratório do curso de comunicação social), obtendo apoio de muitos motoristas que trafegavam. Deram a volta pelas ruas ao redor do prédio da faculdade e concentraram-se em frente à reitoria onde permaneceram protestando por cerca de 40 minutos até obterem, de um porta-voz, a promessa de que hoje, às 9 da manhã, haveria uma reunião com a reitoria e quatro membros da manifestação.

Chegando ao UniCEUB hoje de manhã, quatro alunos representando o Centro Acadêmico e o Jornal Esquina foram recebidos pelo Secretário Geral Maurício Neves. Sr. Getúlio Américo, o reitor não estava pressente e muito menos nenhum dos nomes que compõe o enorme corpo de nossa aviltante reitoria. Com frieza e arrogância, um simples e sonoro NÃO aos direitos dos estudantes foi dito. NÃO liberarão o jornal, NÃO haverá explicações, eles NÃO estão violentando nossos direitos, NÃO, NÃO, NÃO. E ponto.

Os alunos prometem mais protestos para hoje, agora com um maior apoio estudantil e popular. Sindicatos e organizações já aderiram ao movimento. Parte da imprensa também está mobilizada.

Foto de Alexandra Martins


Fonte:
http://www.horariodebrasilia.blogspot.com

Assista o vídeo “Comigo é no popular” de Alexandra Martins sobre a censura no CEUB