17.5.06

Marcia X - Protesto em Brasília








Artistas e estudantes manifestam-se contra o cancelamento da exposição Erotica - Os sentidos na arte, mas Banco do Brasil reitera o veto. Departamento de Artes Visuais da UnB quer trazer parte da mostra - 15 de maio de 2006.


No dia marcado para abertura da exposição Erotica - Os sentidos na arte, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) recebeu grupo inesperado de visitantes. Eram artistas em protesto contra o cancelamento da mostra, que traria o pivô da polêmica, a obra Desenhando em terços, de Márcia X (1959-2005). Faixas com dizeres como “o CCBB é da CNBB”, “hipocrisia veta Erótica em Brasília” e “Arte sem censura” foram exibidas numa área próxima ao estacionamento do local, no final da tarde de ontem.

Veja na íntegra
http://www2.correioweb.com.br/cbonline/cultura/cadc_mat_67.htm

2 Opine!

Anonymous Anônimo disse...

Sou contra a censura, mas chamar desenhos de caralho com terços de
arte, me desculpe é um pouco demais, aliás achei um desperdício de espaço a
mostra erótica do CCBB, uma exposição de objetos fálicos, com caralhos e
bucetas de todos os tipos, repito sou contra a censura, mas chamar aquilo de
arte é sacanagem, quando eu quiser ver vibrabores eu visitarei o shopping ou
uma loja de objetos, aquilo não era arte erótica, era exposição de modelos
de vibrador e de xerecas cibernéticas. Visitei uma parte da exposição no
CCBB do Rio e sai de lá puto, ouvi uma vez uma palestra de Ferreira Gullar
sobre vanguarda e concordei com tudo que o poeta disse, chega uma hora que
aquilo que dizem ser vanguarda não passa de exercício inútil de massagem de
egos alterados e fica restrito a um grupo pequeno de amigos, que não
entendeu porra nenhuma, mas que para parecer descolado faz observações
ridiculas e sem nexo. Sou contra a censura, mesmo que ache uma merda, não
concordo e não devo proibir a exposição, mas posso registrar meu
descontentamento sem patrulhamento ideológico das "vanguradas".

Flávio Machado

quinta-feira, maio 18, 2006 8:52:00 AM  
Anonymous Censura Jamais disse...

Flavio, você tem todo o direito de se revoltar contra as vanguardas e a arte contemporânea.

É bom poder registrar sua opinião sobre aquilo que viu não é?

Independente de uma visão crítica da obra como arte, ela estimula a reflexão sobre a sexualidade na sociedade, os valores morais, tanto que estamos trocando impressões aqui.

É exatamente isso que defendemos, o direito de indignar-se com obras artísticas ou intelectuais, mas jamais censurá-las. A divergência é útil.

As manifestações artísticas têm que ser livres e as opiniões em contrário também.

Abaixo a censura!

quinta-feira, maio 18, 2006 4:10:00 PM  

Postar um comentário

<< Home