31.5.06

Movimento contra a censura continua no Rio de Janeiro

Fora do CCBB e das ruas, a imagem da obra "Desenhando em terços", da artista plástica Márcia X, chegará às passarelas ilustrando camisas e chaveiros da nova coleção da Daspu, a ser lançada no dia 9 de junho. A estilista Rafaela Monteiro, da grife Daspu, vai tornar a obra de Márcia X fashion, na coleção "Daspu na pista/BR-69", inspirada nos caminhoneiros. "Eles são muito religiosos. Têm terços, pés de coelho e figas, tudo a ver com a obra. E queremos apoiar este movimento contra a censura:", diz Rafaela.

Um mês após iniciada a polêmica da censura à obra, na época em cartaz na mostra "Erótica - os sentidos da arte", no CCBB, a imagem dos dois rosários que formam a imagem de dois pênis sobrepostos estava representada em 70 cartazes espalhados pela cidade, e mais uma vez foi censurada, desta vez pelo prefeito do Rio de Janeiro César Maia.


A retirada dos cartazes irritou Márcio Botner, artista e professor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Ele, com seus sócios Ernesto Neto e Laura Lima, proprietários de uma galeria, protestaram contra as duas censuras. "Fiquei chocado. Os cartazes mostram uma obra de arte, que tem a capacidade de suscitar discussões filosóficas, poéticas e políticas, mas sempre abrindo o diálogo. A retirada das obras é mais uma vez um ato arbitrário e vertical, que não permite a criação desse diálogo. Acho que a obra da Márcia X é tão potente que efetivamente parece desnortear as pessoas, o que é um bom sinal", disse Botner.

Viúvo da artista critica a poluição visual da cidade

Segundo o viúvo de Márcia X., Ricardo Ventura, a obra não desrespeita a religião. Ele disse ainda que a censura da obra trouxe uma repercussão mundial negativa para o CCBB. E criticou a poluição visual da cidade, "se o prefeito quisesse mesmo limpar a cidade, deveria retirar todos os cartazes que provocam poluição visual e desrespeitam o Código de Posturas. Retirar apenas o trabalho, que não teve qualquer intenção de desrespeitar a religião, é errado. Ela relacionou o catolicismo com elementos de outras religiões, nas quais a energia sexual é considerada sagrada".

Festival Mix

A discussão promete ganhar as ruas de novo, com o possível cancelamento do festival Mix Brasil, de cinema e vídeo sobre a diversidade sexual, que há quatro anos acontece no CCBB, como informou Joaquim Ferreira dos Santos, em sua coluna no GLOBO, "esse tipo de censura assusta muita gente. Recebemos muita solidariedade da classe artística", diz o viúvo de Márcia X., Ricardo Ventura. E completa, "não sei quem fez os cartazes, mas devem usado a imagem do site da Márcia, que tornamos pública para que as pessoas façam o que quiser com ela. Já fomos procurados pelo pessoal da Daspu e por punks interessados em produzir camisetas".
Pela decisão do Banco do Brasil, o realizador do Mix Brasil, André Fischer, crê que evento deve ser cancelado, "houve uma troca de pessoal no banco. A nova diretoria é conservadora. O festival é um sucesso de público e crítica. Mas sem apoio, não é viável no Rio", avalia ele.
Segundo o Banco do Brasil, a decisão de apoiar ou não o festival nada tem a ver com censura, mas com orçamento e datas disponíveis. O martelo só será batido no fim do semestre.

Texto editado do Jornal O Globo:
http://oglobo.globo.com/jornal/rio/247430260.asp
http://oglobo.globo.com/jornal/rio/247448699.asp

1 Opine!

Anonymous Anônimo disse...

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u61171.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u108390.shtml

Enquanto o diretor da Daslu, Antonio Carlos Piva de Albuquerque vai para o presídio de Tremembé, a Daspu roda a baiana por ter ficado de fora da Fashion Rio e promove um desfile paralelo somente com modelitos da grife.

A função acontece dia 9, no badaladíssimo Circo Voador.

Alguém duvida do sucesso?

segunda-feira, junho 12, 2006 3:23:00 AM  

Postar um comentário

<< Home