23.6.06

Formas de censura - Não dar voz



As mulheres lésbicas e bissexuais de Brasília correm o risco de ficar sem voz na IX Parada LGBTT de Brasília

As mulheres lésbicas e bissexuais de Brasília correm o risco de ficarem sem voz na IX Parada LGBTT (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e transexuais) de Brasília. Desde o ano passado, o trio elétrico dos grupos de mulheres não tem direito a um microfone no carro, e o argumento da organização da Parada é que “microfone na mão de mulheres dá problema”. É preciso lembrar que, acima de tudo, que as mulheres militantes ajudaram a construir a parada, seja na organização ou acompanhando os trios na pista.

A luta pelo direito a voz e respeito das militantes é legítimo, afinal , esse é o grande argumento do movimento LGBTT no mundo hoje. Por essa razão, elas estão manifestando publicamente repúdio ao fato, que cala e oprime não só as mulheres, mas todos os seguimentos do movimento LGBTT de Brasília. Que todos possam manifestar suas diferenças com liberdade e que seus esforços pela diminuição do preconceito sejam reconhecidos. Que os organizadores não sejam machistas e arbitrários, pois não existe contradição maior em um ato que busca divulgar e defender a diversidade sexual.

Foto de Alexandra Martins