9.6.06

Livro sobre Aleijadinho sofreu censura em 2003



Uma liminar da justiça brasileira, favorável ao colecionador Renato Whitaker, proibiu a comercialização do livro ‘Aleijadinho
e sua oficina’ em 2003


Por Ilana Goldstein (22.07.2003)

No Brasil, um processo recente pôs em evidência o quanto a contestação da autenticidade de uma obra de arte gera polêmica, não exatamente estética, mas financeira.

O colecionador brasileiro Renato Whitaker, possuidor de esculturas atribuídas a Aleijadinho, tentou impedir, na justiça, a publicação de um livro revisitando o legado deste grande nome do barroco mineiro.


Na obra intitulada O Aleijadinho e Sua Oficina, da Editora Capivara, dois pesquisadores defendem que a maioria das estátuas de Aleijadinho teriam sido feitas por seus aprendizes. Trata-se de um vasto trabalho de catalogação da obra de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, cuja primeira edição fora inteiramente apreendida por determinação da Justiça. O colecionador brasileiro havia alegado que a publicação lhe traria “danos morais”, mas a Justiça de São Paulo acabou liberando, há pouca semanas, a comercialização do livro em questão. Um dos argumentos foi o de que se trata de obra científica, buscando a verdade histórica e não benefícios ou prejuízos pessoais. O juiz não só liberou a circulação da obra, como também negou o pedido de indenização feito por Whitaker e suspendeu o chamado "segredo de Justiça" que cercara o processo. Vitória da liberdade de expressão.

Matéria completa:
http://port.pravda.ru/culture/2003/07/22

Revista MUSEU sobre o fato:
http://www.revistamuseu.com.br/noticias (apreensão)
http://www.revistamuseu.com.br/noticias (protesto da editora)
http://www.revistamuseu.com.br/noticias (liberação do livro)