6.7.06

Dom Eugênio Sales e a censura (III) – Carnaval (2004)



Em 2004 Dom Eugênio Sales já havia deixado o posto para Dom Eusébio Scheid, mas sua influência e estilo político permanecem inalterados nas ações da Igreja no RJ.

Igreja protesta contra carro dedicado ao Kama Sutra

O cardeal-arcebispo do Rio de Janeiro criticou a Escola de Samba Grande Rio, de Duque de Caxias, por ir apresentar no Carnaval um carro alegórico dedicado ao "Kama Sutra". A Escola de Samba está a finalizar a montagem de um carro com posições sexuais do "Kama Sutra" que desfilará nos dias 23 e 24 de Fevereiro no sambódromo do Rio de Janeiro. O tema da apresentação da Escola de Samba Grande Rio será "Vamos vestir a camisinha meu amor".

"Se o carro for desacreditar o Carnaval perante o mundo através de cenas indecorosas e inaceitáveis a Justiça deveria intervir", disse quarta-feira D. Eusébio Scheid, no Rio de Janeiro, durante uma missa dedicada ao Dia de São Sebastião. O presidente da Grande Rio, Hélio Ribeiro de Oliveira, considerou a atitude do cardeal-arcebispo D. Eusébio Scheid precipitada e garantiu que o carro não "agredirá ninguém". "Não seríamos tão irresponsáveis ao ponto de mostrar para o mundo inteiro imagens que não pudessem ser vistas por qualquer pessoa, inclusive crianças", disse.

Hélio Ribeiro convidou D. Eusébio Scheid a visitar o local onde está a ser preparado o carro alegórico que desfilará no Carnaval do próximo mês no Rio de Janeiro. O cardeal-arcebispo do Rio de Janeiro escusou-se a comentar o convite e a revelar que passos daria para impedir a apresentação.

O responsável pela encenação do carro da Escola de Samba Grande Rio, Joãosinho Trinta, disse que se recusa a fazer qualquer alteração à alegoria do "Kama Sutra" e acusa a igreja católica de "continuar medieval". "O enredo é educativo e conta uma história milenar, com uma mensagem altamente positiva para jovens e adultos", disse Joãosinho Trinta.

A Justiça brasileira proibiu há 15 anos o desfile de um carro alegórico encenado por Joãosinho Trinta com o tema "Ratos e Urubus larguem a minha fantasia", que apresentava um "Cristo Redentor Mendigo". Apesar da proibição para o desfile, Joãosinho Trinta fez desfilar no carro a imagem de Cristo coberta com um plástico preto como protesto pela decisão judicial.



Fonte da matéria: Diário dos Açores
http://da.online.pt/news.php?id=56086