15.7.06

Márcia X - 60 dias da censura no CCBB



Enquanto o tempo passa, a mediocridade cala e a política esquenta...

Completos, hoje (15/07), dois meses da não inauguração, em Brasília, da exposição Erótica–Os Sentidos da Arte.

O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) cancelou a exposição atendendo à pressão de membros de seitas fundamentalistas católicas e após telefonemas de representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).


A obra "Desenhando com terços", de Márcia X, foi retirada da exposição após ter sido exibida sem problemas em São Paulo. Porém, a provinciana Igreja do Rio de Janeiro e seus fiéis apadrinhados políticos chantagearam o CCBB para que censurassem a obra e a diretoria do Banco Brasil, cedeu, acatou.

Após o fato, vários artistas, que faziam parte da exposição, protestaram e afirmaram que retirariam também suas obras. A curadoria e diversos profissionais do CCBB ainda tentaram interceder para que não se proibisse a obra de Márcia X.

Com o rumo dos acontecimentos, o assunto chegou à superintendência do Banco do Brasil e lá foi decidido que a exposição não seria apresentada em Brasília.

Na seqüência, outras manifestações aconteceram em Brasília e no Rio de Janeiro com apoio de artistas, da ONG Da Vida, da grife Daspu, e de empresários e cidadãos com senso crítico.
Novamente, em maio, outra censura. O prefeito do RJ, Cesar Maia, ordena a retirada de cartazes espalhados pela cidade, os quais reproduziam a obra em protesto contra sua proibição na exposição Erótica.

Nos bastidores, a figura de João Carlos Rocha, assessor de César Maia, articulador político do PFL Jovem, fundador da Opus Christi, e aliciador de menores e jovens via Orkut para aumentar o rebanho religioso fundamentalista e engrossar o caldo de jovens na política via PFL.


Uma das armas usada nessa vitória da censura contra a liberdade de expressão, foi a remessa de e-mails e ampla publicação de mensagens nos scraps de várias pessoas incitando e convocando a atitude de fiéis (ameaçando retirada de contas corrente) perante o Banco do Brasil.

Houve, ainda, no decorrer da armação censora, por parte de adolescentes e fiéis ligados a Opus Christi, ameaça de demissão a funcionários do CCBB, xingamentos, desmoralização e desrespeito a cidadãos e mulheres (estendendo a seus filhos), ameaça de processo a este blog (Observatório da Censura) e toda ordem de baixaria, para coibir a liberdade de pensamento e sua expressão.

Ou seja, jovens em formação sendo usados como “mensageiros” de objetivos maiores, de mentores escondidos nos bastidores. Prática, também, vista em outros meios escusos e até mesmo criminosos. Logicamente, prática negada pelo prior João Carlos Rocha.

Saldo final:
Vitória do capital sobre a cultura.
Vitória dos obscurantistas.
Vitória dos jovens politiqueiros que fazem da religião, palanque eleitoreiro.
Vitória das manobras e do poder.
Vitória de um Brasil analfabeto, atrasado e hipócrita.
Viva o povo brasileiro!
Amém!

Censura Jamais, divulgue essa idéia.



Observação: Decidimos não expor aqui os jovens personagens ligados a esta intricada rede de deturpação de valores (pregam X e praticam seu oposto), por serem em grande parte menores de idade. Contudo, temos um dossiê gravado em html mostrando a formação da teia e sua atuação no orkut, para usarmos no caso de ameaças quanto à veracidade das informações citadas aqui.

2 Opine!

Blogger You Tube TV disse...

gortei do seu blog
quer fazer uma parceria de banners?
o meu é: http://yttv.blogspot.com
la tem videos censurados tb
da uma olhada e posta lá

sábado, julho 15, 2006 11:53:00 PM  
Anonymous André Scucato disse...

Triste início do fim. Pesa-me sobre uma consciência ressoada na vida, prática noites de leitura e pensamento crítico. Hoje a pouca arte que se faz neste país possui uma censura, ora velada, ora aberta.

Encontra-se na religião e na política a quebra de qualquer caráter e moral, observando uma espécie mais censurável do que a censura que praticam.

Já não bastam os poucos investimentos na área artística, pois quase sua totalidade financia a indústria do entretenimento e fomenta a sociedade do espetáculo.

Pois é o que desejam os políticos e religiosos, que utilizam de uma retórica sofista, de um discurso que na verdade é o oposto do que fazem e de como se comportam.
(me espanta como o discurso bem empregado para fins desonestos e mesquinhos encontram no Senado e no templo tantos seguidores fanáticos conduzidos o pacato povo brasileiro à um caminho de ignorância e deseducação!)

A religião e a política envergonham o nosso país.

Entretanto é preciso ser consciente...

A arte resiste. Como sempre e por mais que as condições sejam adversas. Ela existe per si e sua existência é o único motivo que me basta. Arte como linguagem e vida.

quarta-feira, julho 19, 2006 10:56:00 AM  

Postar um comentário

<< Home